sexta-feira, 12 de abril de 2013

OS TESOUROS NO CÉU


                       OS TESOUROS NO CÉU

                            MATEUS 6:19-21

 

V.19 – Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a

         ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam;

V.20 – Mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem

         corrói, e onde ladrões não escavam nem roubam;

V.21 – porque onde está o teu tesouro, aí estará também teu coração.

 

Tesouro ou riqueza para os antigos consistia da abundância de roupas para ostentar a aparência, assim como também ouro, prata, pedras preciosas, vinho, terras, azeite etc.. Tudo isto implicava no acúmulo de cousas úteis, para sustentar a opulência, o conforto da vida e garantir provisão para o futuro. Os orientais gostavam muito de exibir belos e ricos trajes, ornamentados com enfeites caros e atraentes. Por isso os seus tesouros consistiam, em grande parte, de belos e dispendiosos vestuários ornamentados com acessórios impressionantes.

A traça mencionada no verso 19 é um inseto minúsculo, que destrói o tecido e, por isso, representa um perigo para esse gênero de tesouro. Os ladrões são outro perigo para os que acumulam ouro, prata e pedras preciosas. Eles faziam escavações, rompiam paredes, sempre à procura de metais e de pedras preciosas. Quando os ladrões não os roubavam eles sofriam ação de desgaste no decorrer do tempo (cf Tiago 5:1-3).

A exortação de Jesus aos Seus seguidores é no sentido deles não caírem no vício da avareza. Todos esses bens materiais não trazem segurança para quem se aventura a acumulá-los. Esta aventura é resultado da cobiça que se transforma em desventura (Tiago 5:1).

No verso 6 Jesus assegura que, pela oração, nós temos acesso aos tesouros do céu, quando oramos com sinceridade, em secreto, e Deus nos recompensa. Este tesouro que nós não podemos ver, nem apalpar, são muito mais reais e permanentes do que os tesouros daqui da terra, que são conseguidos com tanto trabalho e ansiedade. Colocar neles o coração é completa insegurança porque eles impedem o acesso aos tesouros do céu, que estão fora do alcance de ladrões, das traças e da corrosão material. O coração do homem sempre está onde está o seu tesouro. O homem sempre é atraído por aquilo que ele crê ser o melhor para si. Por isso o melhor caminho é não ver os bens desta terra como tesouros, mas usar esses recursos com sabedoria, generosidade e desprendimento, porque assim é que cresce a nossa verdadeira e permanente riqueza espiritual, que é o tesouro no céu.